quinta-feira, 5 de março de 2009

Metro, bus, carrinho de parque de diversões e esse "absoluto dom de existir"

Na noite passada eu sonhei que esperava o metrô quando, no lugar do carro normal, chegou um carrinho de um parque de diversão pelos trilhos. Eu senti um êxtase e, mesmo sem saber para onde ele me levaria, quis entrar nele de qualquer maneira.
Acordei não pensando nisso, mas em chegar no horário que marcaram para eu fazer a "tarjeta de residencia", a tal que me permite trabalhar. Tinha que estar na polícia extrangeira as 9h, o que é madrugada considerando o horário que tenho acordado aqui e que, no noite anterior, fizemos uma festinha no master pra comemorar o fim do primeiro trabalho.
Depois de sair da polícia, uma amiga venezuelana que também tinha o mesmo horário disse que ia pegar um ônibus em vez do metrô e me deu a idéia de fazer o mesmo, pra variar um pouco a vista, já que no metrô a paisagem é escada rolante e parede. Procurei pelos pontos de ônibus algum que parasse perto da minha casa e encontrei.
Entrei no "bus" e logo percebi que as amplas janelas me ofereciam um tour pela cidade, como um carrinho de parque de diversões. Na hora, lembrei do meu sonho...e lembrei de momentos como as vezes que andei nos carrinhos da Disney, e me alegrei ao pensar que nada no mundo me tira essa sensação de êxtase, sensação que eu tive na Disney, no sonho e naquele momento, quando uma voz no ônibus anunciava que "são 10h do dia 5 de março de 2009", quando eu curtia aquele tempo presente, aquela paisagem, aquela água que bebia e esse "absoluto dom de existir".

Um comentário:

Bel disse...

EuroDisney!